Notícias

Zuckerberg pede desculpas e assume erros em depoimento ao Congresso dos EUA.

Entenda o caso!

11/04/2018

A empresa britânica Cambridge Analytica usou testes de personalidade e curtidas no Facebook para coletar dados de usuários do Facebook em 2014. Essas informações revelaram o perfil psicológico completo de 87 milhões de pessoas que estão na rede social que passaram a receber propaganda eleitoral altamente personalizada.

O escândalo explodiu em 17 de março de 2018, depois que um ex-funcionário da Cambridge Analytica, chamado Christopher Wylie, revelou que a consultoria pegava dados das pessoas que fizeram o teste e também de seus amigos sem consentimento.

Com esses dados, a Cambridge agiu para influenciar nos resultados da campanha presidencial dos EUA em 2016 que elegeu Donald Trump. O Brasil também está no meio, com 443.117 usuários atingidos.

Mark Zuckerberg, chefe do Facebook, diante do congresso dos Estados Unidos, admitiu que errou e se desculpou,”I’m sorry”.

 

 

“Está claro agora que não fizemos o suficiente para impedir que essas ferramentas sejam usadas para causar danos”, disse ele em um depoimento escrito divulgado pelo Comitê de Energia e Comércio da Câmara dos EUA.

“Não tivemos uma visão ampla da nossa responsabilidade, e isso foi um grande erro”, acrescentou. “Foi um erro meu, e eu sinto muito. Eu comecei o Facebook, eu o administro e sou responsável pelo que acontece aqui.”

Ele também disse que os principais investimentos do Facebook em segurança “impactarão significativamente nossa lucratividade daqui para frente”.

 

 

 

 

Fonte: tecnologia.uol.com.br / www.terra.com.br

Comentários

Os comentários aqui descritos não respresentam opnião da Revista Personnalité e é de inteira responsabilidade do usuário.