Notícias

Transplante Capilar: será que eu devo fazer?

O Dr. Alberto esclareceu essa e outras dúvidas sobre transplante capilar. Saiba mais!

14/06/2019 - 08:00

 

 

A alopécia androgenética é a causa mais comum de queda de cabelo entre homens e afeta até 50% dessa população na faixa dos 45 aos 50 anos de idade. Essa patologia pode afetar mulheres também, porém, em incidência menor e de forma mais branda. De forma simplificada, a queda de cabelo é causada pelo hormônio di-hidrotestosterona, presente tanto nos homens quanto em mulheres, e que provoca a miniaturização progressiva dos fios, até que parem de crescer. Nem todas as pessoas sofrem desse problema, pois ela tem herança genética, e os fios localizados na nuca e nas laterais da cabeça também são poupados. Devem ser descartadas outras doenças, principalmente em mulheres, como anemia, hipotireoidismo, distúrbios hormonais, déficits de vitaminas e alterações do couro cabeludo.

 

 

 

Existem tratamentos que podem amenizar a queda de cabelo, como o uso de finasterida oral e loção à base de minoxidil, porém em muitos casos a calvície vai evoluir progressivamente. Mais recentemente, novos tratamentos vêm ganhando campo, como a mesoterapia capilar e o uso do laser, no entanto, pacientes com perda maior do que 40% dos folículos terão que recorrer o transplante capilar.

 

 

 

O transplante capilar é o tratamento mais eficaz para a queda de cabelo, e consiste em transferir folículos do próprio paciente da região da nuca e laterais da cabeça, para as regiões acometidas pela queda. Existem hoje duas principais técnicas de transplante capilar, a FUT ( follicular unit transplantation) e a FUE ( follicular unit extraction). A técnica FUT é a mais antiga, retira uma fita de pele da área doadora de pelos,que é suturada, e portanto deixa uma cicatriz permanente no paciente.

 

 

 

A técnica FUE é a técnica mais utilizada e mais moderna, pois não há cortes, e não há suturas, portanto, não deixa cicatrizes. Nessa técnica, os folículos são retirados através de um instrumento circular um a um, por meio de uma microcirurgia. Em seguida são implantados na região receptora com auxílio de microagulhas. Por serem utilizados apenas microincisões menores que 1mm, não é possível diferenciar o cabelo implantado do cabelo do paciente, e o aspecto é perfeitamente natural. Outra vantagem é a recuperação: ele pode retornar ao trabalho entre 3 e 7 dias após o procedimento.

 

 

Outro avanço da cirurgia é a quantidade de fios. Hoje é possível implantar até 15 mil fios em uma única sessão, dependendo da área doadora do paciente. Os fios devem nascer em torno de 2 a 3 meses, e o resultado já pode ser notado com 6 meses, sendo o aspecto final com 12 a 14 meses. A principal pergunta dos pacientes é se esses fios vão cair futuramente. Como os fios implantados foram retirados de uma região que não sofre ação do hormônio di-hidrotestosterona, eles não vão cair.

 

 

 

 

No próprio site do Dr. Alberto, www.easycapilar.com.br, um vídeo explica com detalhes como é feita cirurgia do início ao fim. Caso tenha dúvidas, entre em contato conosco pelo telefone ou whatsapp (77) 98168-2427.

*O Dr. Alberto Camara Ozaki é médico especialista em Transplante Capilar. Ele concluiu a graduação em Medicina na Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), onde também cursou a Residência Médica em Cirurgia. Fez Especialização em Cirurgia Plástica no Hospital Beneficência Portuguesa de São Paulo.

Comentários

Os comentários aqui descritos não respresentam opnião da Revista Personnalité e é de inteira responsabilidade do usuário.

Mais Lidas