Notícias

Transplante Capilar: Devo ou não fazer?

Hoje mais de 90% dos transplantes de cabelo no mundo são feitos pela técnica sem cortes

25/12/2019 - 09:00

 

A queda de cabelo, chamada de alopecia, é uma doença que atinge tanto homens quanto mulheres, podendo, em alguns casos, trazer consequências de caráter social, psicológico. Ela pode inclusive abalar a autoestima, na maior parte dos casos.  Existem inúmeros tratamentos oferecidos para o tratamento da queda capilar.

 

 

Nota-se, nos últimos 2 anos, uma procura maior por tratamentos definitivos e mais objetivos. No entanto, é preciso salientar que, antes de iniciar qualquer tratamento capilar, o dever do médico é se apoiar no seguinte tripé: 1) somente oferecer aquilo que ele está altamente apto a fazer; 2) oferecer o melhor tratamento da atualidade; 3) oferecer o tratamento adequado para cada diagnóstico. Quando um paciente eventualmente não tem um bom resultado com um devido tratamento, é comum que ele pense que provavelmente não haja solução para seu problema. É comum inclusive que ele procure mais de um profissional, e ainda não esteja satisfeito.

 

 

Em geral, o motivo para sua insatisfação está no tripé mencionado, que não foi respeitado de alguma forma. Falando especificamente do transplante capilar, ele pode ser realizado tanto em homens quanto em mulheres. Os pacientes devem sempre procurar um profissional experiente que trabalhe especificamente nessa área, com um histórico de cirurgias bem-sucedidas.

 

 

Hoje mais de 90% dos transplantes de cabelo no mundo são feitos pela técnica sem cortes, o que permite o retorno ao trabalho entre 3 a 7 dias e a implantação de até 6.000 fios por sessão. A cirurgia é rápida, eficaz e praticamente indolor.

 

Paciente operado em março/2019. Os resultados esperados demoram em média 12 meses, mas já podem ser vistos nos primeiros 6 meses.

 

*Dr Alberto Ozaki – CRM 34261 – é médico formado pela USP, com residência no Hospital das Clinicas e Beneficência Portuguesa de São Paulo. Pós-graduação em Dermatologia. 

Comentários

Os comentários aqui descritos não respresentam opnião da Revista Personnalité e é de inteira responsabilidade do usuário.

Mais Lidas