Notícias

Stephen Hawking, físico britânico, morre aos 76 anos

Extraordinário em suas carreira, rebateu teorias de Albert Ainstein e agora "voa como o Super-homem"

14/03/2018

‘Pode continuar voando como Superman’, diz Nasa sobre a morte de Stephen Hawking;  que morreu aos 76 anos nesta quarta-feira (14).

 

 

Stephen William Hawking, físico e pesquisador britânico, morreu nesta quarta-feira (14) em sua casa na Inglaterra. Hawking se tornou um dos cientistas mais conhecidos do mundo ao abordar temas como a natureza da gravidade e a origem do universo. Também foi um exemplo de determinação por resistir muitos anos à esclerose lateral amiotrófica, uma doença degenerativa. A morte foi comunicada por sua família à imprensa inglesa. “Estamos profundamente tristes pela morte do nosso pai hoje”, disseram seus filhos Lucy, Robert e Tim. “Era um grande cientista e um homem extraordinário, cujo trabalho e legado viverão por muitos anos”, afirmaram em um comunicado. A causa da morte ainda não foi divulgada. Hawking nasceu em 8 de janeiro de 1942, exatamente 300 anos após a morte de Galileu, e morreu na mesma data do nascimento de Albert Einstein (14 de março de 1879).

 

 

No final da década de 1960, Stephen Hawking ganhou fama com sua teoria da singularidade do espaço-tempo, aplicando a lógica dos buracos negros a todo o universo. Ele detalharia o tema ao público em geral no livro “Uma breve história do tempo”, best-seller lançado em 1988. Em 2014, sua história de vida foi contada no filme “A teoria de tudo”, que rendeu o Oscar de melhor ator a Eddie Redmayner, que interpretou o físico no cinema.

 

 

Lucy, Robert e Tim, filhos de Hawking: “Ele foi um grande cientista e um homem extraordinário, cujo trabalho e legado viverão por muitos anos. Sua coragem e persistência com seu brilho e humor inspiraram pessoas em todo o mundo. Ele disse uma vez: ‘Não seria muito um universo se não fosse o lar das pessoas que você ama’. Nós vamos sentir falta dele para sempre”.

NASA: “Suas teorias desbloquearam um universo de possibilidades que nós e o mundo estamos explorando. Pode continuar voando como Superman em microgravidade, como você disse aos astronautas no @Space Station em 2014”.

 

 

 

Algumas de suas célebres frases

 

“Olhe para as estrelas e não para os seus pés.” (ao completar 70 anos)

“Somos apenas uma estirpe avançada de macacos em um planeta menor de uma estrela muito comum. Mas podemos entender o universo. Isto nos torna muito especiais.” (em entrevista à revista alemã ‘Der Spiegel’, 1988)

“A vida seria trágica se ela não fosse engraçada.”

“Mulheres. Elas são um completo mistério.” (em ‘The New Scientist’, 2012)

“O Nobel é dado apenas para trabalho teórico que foi confirmado pela observação. É muito, muito difícil observar as coisas em que trabalhei.” (sobre não ter ganho um Nobel)

“Eu não o compararia com o sexo, mas ele dura mais.” (em 2011, falando sobre o momento em que ocorre uma descoberta científica)

“Minhas expectativas se reduziram a zero quando tinha 21 anos. O restante foi um presente.” (entrevista ao ‘The New York Times’, dezembro de 2004)

“A vítima deveria ter o direito de terminar sua vida, se quiser. Mas acho que seria um grande erro. Mesmo que a vida possa parecer ruim, sempre há algo que você pode fazer e ter sucesso. Enquanto há vida, há esperança. ” (falando sobre a eutanásia)

“Acredito que o desenvolvimento pleno da inteligência artificial poderia significar o fim da raça humana.” (entrevista à BBC, 2014)

“O maior inimigo do conhecimento não é a ignorância, é a ilusão do conhecimento.”

“Vivo com a perspectiva de uma morte precoce há 49 anos. Não tenho medo de morrer, mas também não tenho pressa.” (entrevista ao jornal britânico ‘The Guardian’, maio de 2011)

“Ninguém pode resistir à ideia de um gênio aleijado.” (entrevista à revista americana ‘Time’, setembro de 1993)

 

 

fonte: G1

Comentários

Os comentários aqui descritos não respresentam opnião da Revista Personnalité e é de inteira responsabilidade do usuário.