Notícias

Marketing digital: VOCÊ ESTÁ NO CAMINHO CERTO?

 TV, Rádio, Jornal, Outdoor, Revista, Panfletagem, Marketing de Guerrilha. O que essas mídias têm em comum? Você está investindo onde deveria? Seu cliente sabe que você existe?

25/04/2019 - 08:00

Estratégias corretas de comunicação podem colocar a imagem da sua empresa no topo. A convergência midiática nos ensinou que as mídias não se excluem, pelo contrário, elas se fortalecem. Logo que o boom da internet surgiu e as mídias e redes digitais estouraram, especialistas questionaram sobre a permanência dos impressos, rádio e TV.

 

 

Observe que todos eles permanecem firmes. Tiveram apenas que se adequar à nova realidade virtual. As mesmas mãos que folheiam uma revista ou jornal, buscam entretenimento e informações comerciais em mídias digitais. Isso é completamente natural, pois, às vezes, precisamos da informação num exato momento. Recorrer, então, a um “catálogo infinito de informações” é o mais sensato. É importante para o anunciante distinguir que, enquanto mídia de varejo tem como objetivo provocar vendas imediatas, mídias institucionais ajudam no fortalecimento de marca e posicionamento no mercado. Falaremos a seguir de dois exemplos de grandes marcas que, mesmo após se tornarem gigantes do comércio e da indústria, apostam tudo em seu marketing.

 

Pense: Você está no caminho certo ?

 

 

 

TV, Rádio, Jornal, Outdoor, Revista, Panfletagem, Marketing de Guerrilha. O que essas mídias têm em comum? Você está investindo onde deveria? Seu cliente sabe que você existe?

Começo falando da Ricardo Eletro que, em 2016, mergulha de cabeça no “ponto.com” e realiza a unificação de mais de 900 lojas em um único sistema, de acordo com a Oracle Autonomous Database. O Ricardo bate forte com campanhas em que o preço é o foco, chegando a perder dinheiro em produtos para colocar o cliente na loja e vender por tabela, o famoso “Boi de Piranha”. E sim! Não existe uma pesquisa no Google sobre algum produto sem que logo em seguida apareça a marca Ricardo Eletro oferecendo aquilo que se procurava ou algo similar. É o poder digital. A outra marca é a famosa Coca-Cola. Ela não vende preço, não vende carnê, não vende parcela, não faz venda casada. Ela vende “o desejo de matar a sede de forma deliciosa e que só ela proporciona este sabor”.

 

 

 

 

 

 

Aposto que, ao ler este texto, já imaginou aquela Coca geladinha, né? O apelo da empresa em suas campanhas é vender essa imagem de prazer, seduzindo com belos vídeos e impressos que dão vontade de ir direto na geladeira e matar a sede com a bebida. Mesmo distintas, o ponto em comum entre elas é que ambas direcionam suas campanhas tanto na web quanto em impressos. E mesmo entendendo que atualmente a web é o carro chefe, nenhuma delas abandonou as mídias tradicionais, sabem por quê? Porque todas vendem, e menosprezar isso é burrice. Se planeje, tenha verba para mídias regulares, consulte profissionais e faça o investimento no lugar onde o seu público está.

 

Mas como se posicionar corretamente em cada formato de mídia?

 

Primeiramente, é preciso definir qual mensagem você pretende passar para o seu público-alvo. Por exemplo, se você deseja perpetuar e agregar credibilidade à sua marca a longa prazo, o ideal é investir nos impressos, dada a perenidade que possuem. Contudo, se a intenção é divulgar uma campanha de preço ou promoção, dentro da disponibilidade comercial do negócio, é mais interessante investir em um outdoor, um post patrocinado nas redes sociais ou até mesmo na televisão. Saber onde seu público circula também é importante. Desmistifique essa ideia de que seus clientes estão apenas em determinado canal. Nosso momento atual revela que as pessoas consomem informação de forma imprevisível. Traduzindo: é preciso estudar e planejar antes de executar a sua campanha, diversificando os canais onde ela será veiculada.

 

 

 

 

Nem sempre o canal que aparenta ter uma audiência muito grande se encaixa no que sua empresa precisa. Não adianta, por exemplo, um perfil no Instagram ter 100 mil seguidores, se nenhum deles pertencer ao seu público-alvo. A aplicação de uma consultoria de marketing otimiza o investimento e evita gastos desnecessários com publicidade. O consultor é responsável por estudar todos os detalhes da empresa: produto, mercado, concorrência, target e planejamento de mídia. E acredite: um bom profissional avalia até a saúde emocional de quem o contrata.

Por vezes, já me deparei com clientes que dizem: “Eu não sei mais o que fazer, tudo que tento não dá certo, esse negócio de mídia não funciona”. Na avaliação, é possível identificar uma pessoa que centraliza tudo e não consegue executar como deveria suas campanhas. Exemplo disso foi uma determinada instituição prospectada, onde foi possível detectar a falha na comunicação. Uma única postagem no Instagram chegava a demorar mais de 10 dias para ser aprovada. Além do excesso de pessoas responsáveis, todos os sócios precisavam aprovar até uma simples postagem de “Bom Dia”.

 

 

 

Abra sua mente, quem vive de orgânico é vegano. A sua publicidade precisa de investimentos, caso contrário, quem passará fome será você!

 

 

Marcelo Saback Marcelo Saback Publicitário e Diretor de Criação premiado. Com 20 anos de experiência no mercado, já desenvolveu e participou de campanhas regionais como Coca-Cola, Volkswagen, Fiat, Chevrolet, Silva Calçados, Lojas Nacional, Honda, Shopping Conquista Sul, entre outros.
@msaback 77 9.9112 2444

Comentários

Os comentários aqui descritos não respresentam opnião da Revista Personnalité e é de inteira responsabilidade do usuário.

Mais Lidas