Notícias

Ballet Itana Leão surpreendeu com mais um espetáculo

O espetáculo trouxe toda a magia da já consagrada história do "Rei Leão" da Disney, os bailarinos resgataram toda a emoção da saga do pequeno Simba em busca do seu lugar em um mundo cheio de perigos.

Marcelo Saback - 30/11/2016

15137540_1096283740469078_893310290054874775_o

O Ballet Itana Leão remontou essa história em um grandioso espetáculo realizado Sábado (19/11.2016), no Centro de Convenções Divaldo Franco.

A história do leãozinho Simba é uma busca de seu lugar no mundo. Filho do grande Rei Mufasa e da Rainha Sarabi, acaba se envolvendo na morte de seu pai, tudo tramado pelo seu tio Scar, invejoso e maquiavélico, planeja se livrar do sobrinho para dominar todo o reino da savana, o pequeno Simba ainda muito inocente é convencido pelo tio Scar de que é culpado pela morte do querido pai, triste e assustado foge para muito longe e ao atravessar o deserto enfrenta a morte eminente. Sem forças e completamente derrotado, um fôlego de esperança surge entre a poeira e o chão rachado pela seca nesse deserto mortal. São as duas figurinhas mais encantadoras que se poderia querer por perto, Pumba: um fedorento javali, mas que tem um grande coração; Timão: um pequenino suricato, o que faltou em tamanho sobrou em grandeza de espírito, meio malandro é verdade, mas jamais abandona um amigo. Essas duas figurinhas resgatam Simba e a história se inicia para esses trás novos grandes amigos. Aventuras, muitas brincadeiras e uma vida sem problemas, Simba cresce sob o lema Hakuna Matata (sem preocupações), e tudo parece ir muito bem até o ressurgimento de sua melhor amiga de infância Nala. Simba é alertado por sua amiga sobre os absurdos do Reinado de seu tio Scar, que acredita que Simba não sobreviveu ao deserto. A partir desse momento o amor de infância se torna o combustível para que Simba, agora um grande leão, retome seu lugar ao trono que lhe é de direito, e tornar-se o rei da savana como seu pai.

Por si só a história escolhida pela Prof. Itana Leão já emociona, uma produção impecável, com figurinos bem elaborados, muitas surpresas durante todo o espetáculo, trouxe o público para mais próximo dos personagens, interagindo com crianças fora das fronteiras do palco, de fato, levou a emoção da dança e da história pertinho (literalmente) dos corações de todos os presentes durante o show. Itana fala ainda sobre a importância desse tipo de evento para a sociedade conquistense, “Foram meses estudando, lendo a história, assistindo o filme e adaptações para poder sintetizar neste espetáculo a verdadeira proposta de nosso ballet, que é o compromisso com a cidade em produção cultural, o envolvimento desses alunos em um universo lúdico mas repleto de grandes responsabilidades e poder representar bem o teatro”. Disse Itana.

“…aceitei participar do espetáculo a convite de Itana por perceber a grandeza que seria esta apresentação, não só pela responsabilidade de mostrar um show, mas levar esse universo lúdico para crianças e adultos hoje aqui presentes, foi gratificante trabalhar com essas crianças que deram um show de competáncia, o pequeno Simba (representado pela Liz Fontes) foi uma inspiração a parte, apesar de muito jovem, mostrou que não havia horário nem cansaço que a impedisse de fazer o seu melhor, e isso é uma grande lição para os adultos hoje aqui presentes, mostra que um sonho de criança pode permanecer vivo dentro dos nossos corações por toda a vida,basta ter determinação para poder realiza-los, então foi impossível não se emocionar…” (Sibele Novais – Pedagoga  e integrante do grupo de animação Alegria e festa – interpretou Rafiki – o Babuíno Xamã e guardião de Simba).

“…Após seis anos de dança, poder interpretar a Nala pois foi uma história que me emocionou muito quando criança, é sempre uma troca de energias positivas. Jamais havia imaginado participando ou fazendo aulas de ballet, sempre adorei artes marciais, mas o ballet me conquistou e hoje sou apaixonada pela dança, e através dela é possível dizer mais que palavras.”, (Hiasmine Bastos – Professora de Inglás – Representou a Nala – adulta- Melhor amiga e o grande amor de Simba).

A dança é de fato o sorriso e a expressão da alma, é onde no movimento mais simples pode-se expressar os sentimentos mais profundos. foi possível perceber os olhares marejados de pais encantados com seus filhos durante a apresentação, senhoras contendo as lágrimas em seus pequenos lenços brancos, sorrisos largos que se sustentaram durante todo o espetáculo, e aplausos a cada vez que a não se podia mais conter as emoções do que se via bailando sobre o palco.

O Rei Leão foi lançado em 15 de junho de 1994 e aclamado pela crítica e público, que elogiou o filme pela sua música, enredo e animação, ganhando dentre os vários prámios, o Oscar de Melhor Trilha Sonora Original(Hans Zimmer) e Melhor Canção Original (“Can You Feel the Love Tonight“, de Elton John e Tim Rice), e o Globo de Ouro de Melhor Filme Comédia ou Musical. O filme saiu de cartaz como a maior bilheteria de 1994 e foi a segunda maior bilheteria de todos os tempos, perdendo apenas para Jurassic Park. Após o re-lançamento em 3D em 2011, O Rei Leão chegou a 987 milhões de dólares em bilheterias ao redor do mundo, tornando-se a animação desenhada a mão de maior bilheteria da história. Atualmente é a vigésima sétima maior bilheteria da história.[2] O sucesso levou a uma adaptação teatral na Broadway que está em cartaz desde 1997, e duas sequáncias, O Rei Leão 2: O Reino de Simba e O Rei Leão 3, e duas séries de televisão, Timão e Pumba e A Guarda do Leão. (fonte wikipedia)

Estes são os números e um pouco da história de um dos desenhos animados que mais comoveram e encantaram jovens e adultos, uma verdadeira obra prima, e que até hoje ainda é aclamado pelo público.

Fotos: Marcelo Saback

 

Comentários

Os comentários aqui descritos não respresentam opnião da Revista Personnalité e é de inteira responsabilidade do usuário.

Mais Lidas